CDS questiona Governo sobre ligações ferroviárias fundamentais para a Beira Alta

0
477

Numa pergunta enviada ao Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, os deputados do CDS-PP Hélder Amaral, Pedro Mota Soares e João Rebelo querem saber em que ponto estão os investimentos ferroviários previstos para a Beira Alta.

Os deputados questionam, nomeadamente, “em que estado se encontra a modernização do troço ferroviário Covilhã-Guarda e em que data estarão concluídos os trabalhos, para lá das intervenções previstas (e algumas já efetuadas) na ligação entre a Pampilhosa e Mangualde, quando será entregue o projeto da ligação entre Aveiro e Mangualde e se vão ser respeitados os prazos estabelecidos no Plano Ferrovia 2020 que apontam para o fim do primeiro trimestre de 2018, se o futuro corredor ferroviário de Alta Velocidade Aveiro/Mangualde/Guarda/Vilar Formoso é para este Governo uma prioridade e, por último, qual tem sido a participação dos autarcas na definição do traçado para esta infraestrutura que virá a ligar a cidade de Aveiro a Vilar Formoso”.

No documento, os deputados do CDS-PP recordam que “o Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas 2014/2020 contemplava já, como prioritárias, uma série de infraestruturas importantes para a região da Beira Alta, nomeadamente o eixo ferroviário Aveiro/Guarda/Vilar Formoso e a conclusão da modernização da Linha da Beira (LBB) Baixa, no troço Guarda/Covilhã”.

“O Plano Ferrovia 2020 determinava que o Lançamento de Concurso para Obra se concretizaria até setembro de 2016. Sabemos agora que, ainda que com atraso, foi anunciado em novembro de 2017 que a modernização do troço ferroviário Covilhã-Guarda foi adjudicada por 52 milhões de euros”, avançam ainda os deputados centristas.

“Quanto à ligação Aveiro Mangualde, que concretiza o Corredor Internacional Norte, o Plano Ferrovia 2020 indica-nos que o projeto ficará concluído no primeiro trimestre de 2018”, segundo os deputados do CDS e continuam referindo que “o eixo ferroviário Aveiro/Guarda/Vilar Formoso de transporte de mercadorias em Alta Velocidade poderá favorecer os diferentes setores económicos existentes e promover a instalação de outros, incluindo o exportador”.

Avançam ainda que “a cidade de Viseu e a cidade da Guarda estão localizadas sensivelmente a meio caminho entre Aveiro e Salamanca, cidade espanhola onde já existe um Posto Aduaneiro Interior”.

“Esta é uma oportunidade de investimento na ferrovia que valoriza a localização estratégica destes territórios que, em Portugal, são a “Porta da Europa” para muitos operadores logísticos que já estão ali instalados”, referem os centristas, concluindo que “a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela acredita que o eixo ferroviário Aveiro/Guarda/Vilar Formoso é um projeto chave que beneficia o transporte de mercadorias, dando mais perspetivas de desenvolvimento e competitividade aos territórios que constituem esta mesma comunidade”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here