Padre da diocese de Viseu assumiu paternidade de menina nascida dias antes da Páscoa

0
5636
(Foto: Jornal do Centro)

Na nossa secção de “Dito nas Redes” trazemos hoje uma notícia publicada no site do Jornal do Centro, com data de ontem, 4 de abril.

Sob o título “Padre assume filha mas continua a rezar missas”, o jornal noticia que um padre da diocese de Viseu foi pai de uma menina na sequência de uma “relação com uma ex-paroquiana”.

Eis o teor integral da notícia do Jornal do Centro:

«Um padre da diocese de Viseu foi pai de uma menina. Assumiu a paternidade mas vai continuar em funções nas paróquias que lhe confiaram. A criança é fruto de uma relação com uma ex-paroquiana, soube o Jornal do Centro em exclusivo.

A Diocese do Viseu anunciou que o pároco vai continuar a servir as paróquias que lhe foram destinadas por ter sido essa a vontade manifestada pelo próprio. “Perante a opção dele de continuar ao serviço da Igreja, foi-lhe pedido que assumisse todas as responsabilidades. Optando por continuar a ser pároco, pois bem continuará assim a servir sem deixar as outras responsabilidades inerentes à situação”, disse D. Ilídio Leandro, bispo de Viseu.

O padre, de 38 anos, teve de assumir a paternidade de uma menina que nasceu dias antes da Páscoa, fruto de uma relação que terá tido com uma funcionária de uma escola em Viseu e que foi sua paroquiana em Ribeiradio.

Atualmente com funções nas paróquias de Candal, Santa Cruz da Trapa e S. Cristóvão de Lafões, de acordo com a página da Diocese de Viseu, o padre é ainda o presidente do Centro de Promoção Social de Carvalhais.

Nas aldeias onde é padre, toda a gente sabe do sucedido mas poucos são os que querem comentar o caso.

Já na paróquia de onde é a mãe as conversas andam todas à volta deste assunto. “Nunca suspeitámos de nada. Ele falava para ela como para outra pessoa qualquer”, contou uma jovem da paróquia de onde o padre saiu há mais de um ano.

“Sempre foi uma pessoa muito simpática que falava com toda a gente”, confirmou.

O pároco, natural de Castro Daire, é conhecido por se envolver em várias atividades com a comunidade e causas sociais.

Contactado pelo Jornal do Centro, o padre disse nada ter a dizer.

No final do ano de 2017 foi também conhecido o caso de um padre da Diocese do Funchal que assumiu a paternidade de uma menina nascida a 18 de agosto. Apesar de ter sido dispensado pela Diocese e substituído por outro, embora continue a exercer o ministério sacerdotal.»

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here