Sátão: Caminhada da rota do míscaro contou com mais de cem participantes

0
898

Teve lugar neste domingo, 5 de novembro, no concelho de Sátão, com a participação de mais de uma centena de pessoas, a caminhada designada de PR1 (pequena rota), estando o míscaro associado à sua nomenclatura (rota do míscaro), face ao atravessamento de uma área de pinhal, onde normalmente há muitos destes cogumelos.

Este trajeto, com partida do Santuário de Nosso Senhor dos Caminhos, estende-se pelas margens do rio Vouga, pela serra de São Matias com regresso pelos moinhos do Trabulo.

Na serra da São Matias

Ao longo de 18 quilómetros os caminhantes puderam ver o leito do Vouga, completamente seco, nas imediações da Fraga, mais adiante o convento do Santo Cristo da Fraga impôs-se aos participantes como um elemento marcante da encosta granítica e logo depois a subida para da serra de São Matias pelo “caminho dos mortos”, uma subida íngreme e pedregosa, com elevado grau de dificuldade, com 1,5 km de extensão, foi um momento que fracionou completamente o “pelotão”.

Logo a seguir, vencida a subida, foram cerca de três quilómetros de caminho plano, até à capela de São Matias, para repor alguma energia, bem necessária para a descida vertiginosa até ao Sadouro, nas imediações da Veiga.

O troço seguinte, de dificuldade elevada, apareceu a seguir ao Convento. Tratou-se de um caminho estreito, muito a pique, até Vila Boa.

Nas poldras do Trabulo

Depois daí, nada a assinalar até ao atravessamento do Vouga através das poldras, junto aos moinhos do Trabulo, um aspeto que mereceria ainda mais realce se o rio apresentasse um bom caudal, o que não foi o caso.

O fim estava à vista, com a capela de Nosso Senhor dos Caminhos, virada a poente, a receber, de frente, os participantes após 18 quilómetros de estradas, caminhos e quelhas do concelho de Sátão.

A organização foi da Câmara Municipal de Sátão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here