Sernancelhe: A Nossa Senhora da Saúde em Fonte Arcada… mas que bela romaria! (*)

0
2077
(Foto: RD)

Segundo J. Rocha e Sousa, “Fonte Arcada o topónimo resulta de uma fonte “Arcada” que existe no lugar da Toca da Moura. É uma fonte de mergulho construída no século VIII onde provavelmente já tivesse existido uma outra no período da ocupação Sueva ou Visigótica que daria apoio aos caminhantes que vinham pela ponte e estrada romana que passava nas proximidades.”

Hoje, Fonte Arcada é uma aldeia airosa e rica de um património que a orgulha. Desde a Torre do Relógio século XVI, à Igreja Matriz do século XIII, à Casa do Paço ou da Dona Loba, século XII, ao solar dos Brigadeiros, dos condes da Azenha, dos Couraças, nem uma Rua Direita falta na terra… Por isso, também por isso, tem que ser terra de gente boa!

(Foto: Rua Direita)

Citando o Abade Vasco Moreira, “Ao fundo, entre margens de frescos salgueiros passa o Távora, sereno e profundo como a consciência dum justo.”

Ao cimo, ergue-se a Igreja da Nª Sª da Saúde, que teve no domingo passado o início da sua ancha romaria que atrai milhares de devotos.

Fomos a convite do nosso amigo Ladislau Amaral, presidente da União de Freguesias de Fonte Arcada e Escurquela, o qual não podia ter escolhido melhor dia para fazer anos e festejar as 60 primaveras risonhas, num dia memorável para a localidade e, depois, em casa com um grupo de dedicados familiares e amigos.

Citando Paulo Pinto

Milhares de pessoas na Romaria de Nossa Senhora da Saúde em Fonte Arcada

Nossa Senhora da Saúde, em Fonte Arcada, é um centro de grande devoção, sendo considerada a segunda maior celebração do Concelho. Senhora da Saúde e Lapa são aliás duas romarias de referência em toda a Diocese de Lamego, sendo ambas antecedidas de novena de pregação. Neste domingo, 15 de Abril, foi dia de romaria de Nossa Senhora da Saúde e, como é tradição, milhares de pessoas passaram por aquela vila medieval pousada na margem esquerda do Rio Távora.

(Foto: Rua Direita)

Conhecida também pela sua dimensão de festa, preserva a curiosidade de se prolongar para o domingo seguinte, mas já com o estatuto de festa do povo. Contudo, a Romaria de Nossa Senhora da Saúde é famosa pela sua procissão, cujos andores eram originalmente transportados em carros de bois desde a igreja até à capela, ao som dos tambores de Zés-pereira e na companhia da Banda Musical 81 de Ferreirim. Mantém-se a Banda Musical, desta feita, a de Sernancelhe e os bombos, mas são tratores que carregam os 13 andores encosta acima. Destaque para o envolvimento empenhado das crianças e jovens da aldeia que auxiliam em toda a procissão e para o facto de o andor de Nossa Senhora da Saúde continuar a ser carregado em ombros.

A Feira, que julga-se terá sucedido à franqueada feira medieval, mas agora adaptada aos tempos modernos, dá cor e som às romarias, preenchendo a avenida paralela à Capela cuja construção é do século XVIII.
A Senhora da Saúde é, por isto, uma manifestação autêntica da fé dos peregrinos que, ano após ano, acorrem àquele santuário para pedirem auxílio ou pagarem promessas por terem sido atendidos.

Muito bem decorados os andores com belíssimos arranjos florais de Beatriz Aguiar, muitos figurantes vestidos a rigor, o pároco sob o pálio com toda a dignidade, atravessaram-se as ruas engalanadas da aldeia, ao som harmónico da Banda de Sernancelhe, até ao cimo da localidade, de onde a Santa espraia deleitada seu olhar pela paisagem.

Parabéns a todos que se empenharam nesta organização, à Comissão Fabriqueira da Igreja, aos mordomos, ao pároco, à Junta de Freguesia… todos os merecem pela dignidade conferida a este evento.

(*) Reportagem: Rua Direita

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.