Andebolistas no Bar da SPORT TV

0
238
Abílio Travessas: Colaborador Dão e Demo - jornal digital

Por: Abílio Travessas

As conversas conduzidas pelos saberes  dum  jornalista e do Carlos Manuel antigo futebolista, neste canal televisivo, trazem-nos estórias quase sempre interessantes de outros tempos. Os andebolistas dos anos setenta, Carlos Silva, guarda-redes, Hernâni e Zé Manel, passaram pelos grandes do sul, Belenenses, Sporting e Benfica, perdurando a amizade, característica dos adversários de então, também do futebol.

Testemunhos que ficam para a história do desporto português através do andebol, pois mostram, não só antes de Abril, o desvalor  do nosso país no contexto europeu.

Naqueles anos, franceses e alemães dominavam a modalidade com Mr Payout  Presidente da Federação Europeia, que não morria de amores por Portugal.  Benfica tinha sido campeão e saiu o poderoso Barcelona no sorteio da Taça dos clubes campeões. Estávamos no Verão Quente, 1975; árbitros franceses, delegado alemão, tudo segundo os conformes competitivos. Da equipa adversária nem sinais pelo que foi seguido o procedimento legal: bola ao centro, saída da equipa portuguesa, golo e fim do jogo. Vitória por 15-0. Justificação do Barcelona não houve; houve, mais tarde afirmando que não havia condições de segurança, em Lisboa havia guerra civil, todos aos tiros nas ruas, confrontos generalizados. A Federação, pelo sr Payout, informou a equipa portuguesa que o jogo da 1ª mão não tinha valido, apesar dos protestos portugueses…

A outra estória dentro deste contexto da menorização de Portugal na Europa tem o Belenenses protagonista num jogo com a grande equipa do Estrasburgo. Contra as expectativas os do Restelo ganharam por sete golos; na 2ª mão e já no hotel, os portugueses são confrontados com a notícia de que o jogo de Lisboa não valera porque havia tabelas – os pavilhões serviam para várias modalidades como o hóquei em patins. Árbitros noruegueses, dos melhores do mundo; um deles, antes do começo do jogo, dirigiu-se em inglês ao nosso capitão, Zé Manel: “Joguem tranquilos o vosso melhor!”. Resultado: uma surpresa desagradável para os gauleses pois os portugueses, apoiados por muitos emigrantes ganharam por dois golos. Festa ruidosa com os conterrâneos que se prolongou para lá da fronteira, na Alemanha.

No dia seguinte os jornais franceses, com a xenofobia costumeira, afirmavam que os portugueses eram uns bárbaros…

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.