BE de Carregal do Sal está contra a exploração de lítio no concelho

0
287
O Núcleo Concelhio de Carregal do Sal do Bloco de Esquerda posiciona-se contra as explorações de lítio no concelho de Carregal do Sal, avançou aquela estrutura partidária através de comunicado.

O comunicado refere que foram publicados em Diário da República, no dia 16 de Março, dois avisos através Direcção Geral de Energia e Geologia nomeadamente os avisos 6518/2019 e 6133/2019, onde a Fortescue Metals Group Exploration requereu a atribuição de direitos de prospecção e pesquisa de depósitos minerais como o lítio, tungsténio, entre outros. As duas áreas abrangidas são a “Boa Vista” num total de 260,331 km2 que abrange vários concelhos inclusive o de Carregal do Sal e as prospecções incidirão nas freguesias de Carregal do Sal e Oliveira do Conde e a outra é “Lobão” num total de 486,643 km2 que para além de outros concelhos, incidirá na Freguesia de Beijós.

“Sabemos que, historicamente, estas áreas são ricas em vários minerais, inclusive o lítio”, refere o BE de Carregal do Sal, que se coloca “em pé contra o projeto de exploração de lítio e outros minerais. As emissões de partículas em suspensão constituem o poluente de maior relevo, a par do ruído e das escorrências que contaminarão os cursos de água. A escavação e a remoção de milhões de toneladas de minério por ano, apenas a centenas de metros de distância de várias localidades do concelho, terão como consequência inevitável a poluição do ar e dos recursos hídricos. As emissões de poeiras compostas, entre outros, por sílica, podem provocar doenças respiratórias”.

Os bloquistas de Carregal do Sal referem ainda que reconhecem “que o processo ainda está numa fase inicial, mas a oposição a este tipo de exploração também tem que começar cedo. A vida destas populações tornar-se-á um inferno 24 horas por dia todo o ano, os sistemas ecológicos e os sistemas produtivos locais seriam gravemente afetados pela exploração mineira de grande dimensão”.

“Esta realidade é escondida na sugestiva campanha publicitária para o lítio português que abasteceria um mercado europeu de baterias de Iões-LI para carros elétricos. De facto, os custos ambientais da extração do lítio não permitem dizer que se trata de uma tecnologia limpa. É altamente consumidora de água, energia, espaços naturais, e é poluente. Os riscos ambientais e sociais são elevados. A realização de um rigoroso Estudo de Avaliação de Impacte Ambiental é indispensável e o Governo e as autoridades competentes têm a obrigação e o dever de defender um território que já sofreu tanto com o incêndio de Outubro de 2017”, referem, finalmente, os dirigentes do BE de Carregal do Sal.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.