Câmara de Viseu lamenta que ministro Pedro Marques não tenha explicado atraso da EN 229

0
489

A câmara de Viseu para além de acusar o ministro Pedro Marques de “ilusionismo” lamentou o facto de “não ter explicado o atraso na apresentação do projeto de requalificação da EN 229 entre o Parque Empresarial do Mundão e o nó de Sátão”.

No comunicado emitido pela câmara de Viseu na sequência da visita do ministro do Planeamento e das Infraestruturas a Mangualde, onde anunciou a descida das portagens para os transportes de mercadorias, a câmara de Viseu, presidida por Almeida Henriques, também se referiu à EN 229, para além do “ilusionismo” sobre as portagens.

“Lamentavelmente, o ministro do Planeamento e Infraestruturas esqueceu-se também de explicar o atraso na apresentação do projeto de requalificação da Estrada Nacional (EN) 229, numa extensão de 10 quilómetros, entre o Parque Empresarial do Mundão e o nó de Sátão”, protesta o município liderado por Almeida Henriques, no comunicado remetido à agência Lusa.

De referir que Pedro Marques, a propósito da EN 229, em declarações ao Jornal do Centro, aquando da sua recente vinda a Vouzela, no dia 2 de janeiro, referiu que esta estrada era uma prioridade para o Governo e que “estamos a caminho de concluir o projeto para podermos passar à obra, mas a EN 229 permanece entre as nossas prioridades”.

Recorde-se que a requalificação da EN 229, uma das estradas mais movimentadas da região, tem sido alvo de várias vicissitudes ao longo do tempo. Desde a construção de uma estrada completamente nova entre o Pereiro e a A25 até esta solução, a da requalificação do atual traçado, com faixas de lentos, que foi apresentada pelo Governo no âmbito do programa de valorização dos acessos para as áreas empresariais.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.