Em 2019 vou…

0
362
Inês Pina: Colaboradora Dão e Demo

Por: Inês Pina

2019 chegou cheio de 365 oportunidades. Ainda pensei que poderia falar da crise /birra de Trump e de um shutdown interminável que a América tem para resolver. Não, que o conceito seja novidade, mas a forma, é sem dúvida. Já para não falar no tempo a que se arrasta. Ponderei falar da crise do PSD. Montenegro, ganharia tempo e credibilidade se esperasse a derrota do PSD nas eleições. Mas, como andamos todos tão mornos não me apeteceu avançar mais pela política.

Contudo, e como ainda estamos no looongo mês de janeiro, achei que poderíamos falar das nossas famosas resoluções. Fica um disclaimer para mim o ano inicia em setembro. Não, calma, não sou de uma religião que tem um calendário próprio. A questão é que agosto é um mês desregulado. São as minhas férias é o país de férias…enfim saio da ordem que tanto adoro.

Em setembro defino aspetos que quero voltar a colocar em ordem e entro nos eixos. No início do ano faço sempre um balanço e reforço aspetos que quero melhorar. Para ser bem sincera acho que se queremos melhorar algum aspeto da nossa vida, qualquer altura do ano serve.

Se defino muitas coisas para mim? Algumas. Com os anos aprendi a ser menos genérica. Ainda tenho aspetos genéricos como: ser mais paciente (quando distribuíram a paciência eu devia estar na fila dos doces), ser mais simpática (sou muito “cara fechada” logo nas primeiras conversas e isso faz com que me achem para o arrogante, mas eu até sou boa pessoa). Porém, com o avançar da idade tenho vindo a definir aspetos mais concretos. Do género: poupar X por mês; ler um livro por mês (não sei quando isso me aconteceu, para ter que colocar isso nas resoluções, eu sempre amei ler); aprender a língua X; visitar o sítio X; estudar a matéria X…e por aí fora. Aliás, este ano desafiei-me a não comprar roupa ao longo do ano (vou escrever aqui para me obrigar a cumprir mesmo), vou rodar toda a roupa do armário e lutar contra o consumismo que se tem vindo a instalar em mim.

O que posso garantir é que cumprir resoluções é nada mais, nada menos que modificar comportamentos e introduzi-los na nossa rotina.

Não basta colocá-los em papel é preciso assumi-los. É todo um processo.

1.As resoluções devem depender de nós! Isto é mesmo importante na medida em que com alguma facilidade tendemos a associar o alcance dos nossos desejos a outras pessoas. Fazer com que as coisas efetivamente dependam apenas do nosso esforço e compromisso fazem com que nos possamos responsabilizar e tornas as coisas exequíveis. A chave é responsabilizar-nos.

2.O tempo é talvez a medida mais justa do mundo. Tanto é para ricos como para pobres como para velhos ou novos. É importante conseguirmos entender que temos efetivamente de gerir o nosso tempo também no sentido das nossas resoluções. Importa que no teu dia-a-dia encontres tempo para investir nas tuas resoluções. Ponto fulcral é investir tempo!

3.Segmentar o nosso desejo em várias pequenas tarefas exequíveis. Desta forma fica mais fácil ir cumprindo as diferentes etapas e continuar motivado. Ir dando pequenos passos, do género todos os dias ler X páginas.

4.É normal que ao longo do caminho a desmotivação apareça. Ninguém é um super-herói. Por vezes sentimos que o objetivo já falhou ou que as coisas fugiram de controle e… nunca vão acontecer. Mas é normal que isso aconteça e é importante aceitar essas situações como parte do processo! O importante é não desistir.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.