Estudo sobre Cooperativas vitivinícolas da região do Dão distinguido com Prémio António Sérgio 2018

0
712

Vítor Figueiredo, natural de Moledo, concelho de Castro Daire, viu a sua tese de doutoramento em Gestão da Universidade da Beira Interior, intitulada “As Cooperativas como Alianças Estratégicas: Fatores de sucesso para a satisfação dos cooperadores vitivinícolas da região do Dão”, ser distinguidacom o primeiro prémio, na categoria de Estudos e Investigação, atribuído pelaCASES – Cooperativa António Sérgio para a Economia Social, no âmbito do Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio 2018.

Vítor Figueiredo, atualmente a exercer funções de Coordenador da RLIS/SAAS para os concelhos de Castro Daire e de Vila Nova dePaiva, é também Professor Auxiliar Convidado no Departamento de Gestão e Economia da Universidade da Beira Interior. O autor do estudo, agora premiado, mostra-se “orgulhoso por esta distinção que vem validar o trabalho feito em prol da compreensão das cooperativas e da sua importância para setores e comunidades locais”. Além disso, refere, “este reconhecimento é também um estímulo para continuar a estudar o setor cooperativo e social que tem vindo a crescer por todo o mundo, como forma de abordagem ao mercado e de surgimento de novas iniciativas que, em comunidade e para a comunidade, procuram resolver problemas económicos e sociais, que afetam um número crescente de populações, principalmente aquelas situadas em zonas deprimidas, rurais e do interior do país, onde existe mais desemprego, mais desertificação e diminuição de oferta de produtos e serviços essenciais, sejam eles públicos ou privados”.

O estudo identifica um conjunto de fatores que conduzem à satisfação dos cooperadores, entendendo o que os cooperadores mais valorizam nasua relação com a cooperativa.

 As cooperativas surgem, pois, como uma forma específica de fazer negócio, que vai muito além de meras razões económicas. Tendo por base um conjunto de princípios cooperativos, universalmente aceites, esta forma de organização afigura-se como promotora da igualdade, do desenvolvimento comunitário e do bem-estar dos seus associados.

As conclusões desta tese indicam que os fatores económicos usados para medir a satisfação não se revelaram preditores da mesma. Ao invés,os fatores que mais se relacionam com a satisfação dos membros das cooperativasprendem-se com a compatibilidade entre membros, a seleção de parceiros, os recursos humanos, poder e controlo, bem como de desenvolvimento das próprias organizações, comunidades e cooperadores.

Além disso, o autor identifica, nesta investigação, 8 Motivações Cooperativas consideradas importantes pelos cooperadores: (1) Valorização humana, (2) Sustentabilidade, (3) Reação, (4) Cooperação, (5) Competitividade, (6) Poder e aliança, (7) Gestão e (8) Operação.

 No que concerne às implicações para a teoria e a prática, esta investigação permitiu comparar realidades económicas, geográficase políticas diferentes, possibilitando a recolha de melhores práticas, além de suprir falhas existentes na literatura a nível nacional sobre o estudo da satisfação nas cooperativas. Foi ainda validada uma escala para avaliar a satisfação dos cooperadores, que poderá ser replicada em estudo futuros. Foram igualmente identificadas 8 motivações cooperativas que podem explicar o sucesso destas organizações, enquanto alianças estratégicas.

 Em termos práticos o estudo possibilitou, de igual modo, construir uma matriz com os fatores que influenciam a satisfação dos cooperadores. Apontar caminhos e cuidados a ter a quando da definição depolíticas para o setor, nomeadamente legislativas e, finalmente, identificar osvalores, princípios e pressupostos necessários para alavancar o sucesso destas organizações, que adquirem, um pouco por todo o mundo, uma atenção e importância renovadas.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.