Moimenta da Beira | Jornada Internacional Aquiliniana, em Soutosa

0
176
Sede da Fundação Aquilino Ribeiro (Foto: Dão e Demo)

Oito académicos e estudiosos da obra de Aquilino Ribeiro oriundos de Itália, Espanha e República Checa, além de Portugal, participarão na 1ª Jornada Internacional Aquiliniana que terá lugar na Fundação Aquilino Ribeiro, em Soutosa, Moimenta da Beira, na próxima segunda-feira, dia 27 de maio. O evento é organizado pelo Centro de Estudos Aquilino Ribeiro (CEAR) e pela Câmara Municipal de Moimenta da Beira. A entrada é livre.

É mais uma iniciativa que assinala e internacionaliza enormemente a obra do mestre já que todas as comunicações dos oito académicos afirmarão, até à exaustão, essa universalidade do escritor das Terras do Demo e vão certamente iluminar os diversos aspetos em que essa obra transversal de Aquilino Ribeiro merece justamente ser mais lida, mais estudada e reafirmada como marco incontornável na literatura portuguesa de todos os tempos.

A 1ª Jornada Internacional Aquiliniana pretende revisitar e refletir sobre a ficção (e não-ficção) do autor, que ao longo de todo o seu percurso revela uma versatilidade singular e um domínio eloquente e inovador da palavra escrita. Escritor ímpar, quer no modo de trabalhar a linguagem, com recurso a um vocabulário exuberante, original e pitoresco, quer no rigor extremo da expressão, foi autor de uma das mais importantes obras literárias portuguesas do século XX, abrangendo ficção, crítica, biografia, evocação histórica, ensaio, teatro, etnografia, polémica, tradução e contos para crianças. Para Óscar Lopes, Aquilino partilha com Fernando Pessoa um lugar cimeiro nas Letras Portuguesas.

PROGRAMA

09h30 – Entrega de Documentação

10h00 – Sessão de Abertura

António Manuel Ferreira (Presidente do Centro de Estudos Aquilino Ribeiro)

José Eduardo Ferreira (Presidente da Câmara Municipal de Moimenta da Beira)

10h30 – Fernando Paulo Baptista (Academia das Ciências e Academia Portuguesa da História)

Da importância estratégica do Colégio Jesuíta da Senhora da Lapa para a promoção do imortal Escritor Aquilino Ribeiro e de toda a região metonimicamente denominada de “Terras do Demo” – Uma perspetiva histórica, antropológico-cultural, literária e educativo-formativa, a partir de algumas obras de referência do Autor

11h00 – Claudio Trognoni (Università di Roma Tor Vergata, Itália)

A língua de O Malhadinhas: termos regionais, especialísticos e formas da coloquialidade

11h30 – Silvie Špánková (Universidade Masaryk, Brno, República Checa)

Entre Éden e Babilónia: O imaginário urbano em Mónica e Maria Benigna, de Aquilino Ribeiro

12h00 – Henrique Almeida (Instituto Politécnico de Viseu)

Terras do Demo à distância de um século: um romance superlativo

12h30 – Debate

13h00 – Intervalo

15h00 – António Manuel Ferreira (Universidade de Aveiro)

O espaço da prisão em O Homem que matou o Diabo, de Aquilino Ribeiro

15h30 – Carlos Nogueira (Universidade de Vigo, Espanha)

“Terçã o parta lá longe, que há de morrer a dar coice!”: a “praga” da tradição oral portuguesa e a “praga” nos romances de Aquilino Ribeiro

16h00 – Nazaré Matos (Prémio Aquilino)

A vitalidade do espaço nos contos de Aquilino

16h30 – José Carlos Seabra Pereira (Universidade de Coimbra)

O apelo do regionalismo em tempos citadinos

17h00 – Debate

17h30 – Sessão de Encerramento

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.