Município de Viseu vai investir 2,3 milhões de euros em acessibilidades no centro histórico e Santo Estevão

0
861
(Foto: Jornal do Centro)

Empreitadas arrancam nas próximas semanas nas ruas João Mendes, Soar de Cima, Cónego Martins, Largo Almeida Moreira e Avenida António José de Almeida.

Segundo revela a autarquia viseense na sua página, o Município de Viseu aprovou, em reunião do Executivo, “um conjunto de intervenções em diversas artérias, no valor global de 2,3 milhões de euros, obras essas que vão avançar nas próximas semanas. O objetivo é a melhoria das condições de circulação pedonal e rodoviária”.

“No Centro Histórico, depois de recebido o visto do Tribunal de Contas, avança a empreitada nas ruas João Mendes, Soar de Cima, Cónego Martins e Largo Almeida Moreira. Esta intervenção já tinha sido aprovada há cinco meses em reunião do Executivo”, refere a autarquia.

“Na rua João Mendes, a empreitada arranca nas próximas semanas e prevê a introdução de um novo desenho urbano, com melhoria do acesso pedestre e a limitação do estacionamento. Assim, está prevista a criação de um passeio contínuo desde o início da rua até ao cruzamento com a rua do Gonçalinho, do lado direito”, acrescenta ainda a câmara municipal.

Na zona mais larga da rua, o passeio e os lugares de estacionamento serão também reformulados.

Esta intervenção, com um prazo de execução de 12 meses, tem um custo de cerca de meio milhão de euros.

Na sua página a câmara refere ainda que “nas ruas Soar de Cima, Cónego Martins e Largo Almeida Moreira, o investimento é de cerca de 850 mil euros. Com um prazo de execução de 18 meses, a intervenção prevê a criação de espaços de lazer e passeios de transição entre o arruamento e as soleiras de acesso aos pisos térreos dos edifícios. Serão também introduzidas zonas de circulação automóvel e reforçada a iluminação pública.”

Esta empreitada estará no terreno no início de Outubro.

Para o Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, “estas intervenções marcam o arranque de uma nova fase de regeneração do Centro Histórico da cidade, no sentido de o tornar cada vez mais atractivo”.

Nas próximas semanas avança também a intervenção de prolongamento da Avenida António José de Almeida, em Santo Estêvão.

“A empreitada, com um custo que ascende a um milhão de euros e um prazo de execução de cinco meses, consiste na construção e reconstrução da rede viária, numa extensão de 611 metros. O projeto contempla a criação de dois arruamentos, um paralelo à Avenida Europa e outro no topo da mesma avenida, permitindo assim suportar a expansão urbana daquela zona”, conclui a autarquia.

Nova filosofia de manutenção dos espaços verdes municipais

Mas a autarquia avança ainda que na reunião do Executivo foi também aprovada a empreitada de “Reconversão de Coberto Vegetal de Espaços Verdes Municipais”. Este projeto enquadra-se na filosofia que está a ser levada a cabo no que diz respeito ao tratamento de jardins e outros espaços verdes, privilegiando-se a introdução de vegetação adequada ao clima da região e, dessa forma, potenciando-se a resiliência à seca. Desta medida resulta ainda uma efetiva poupança de água.

Esta empreitada, com um custo que ascende a 206 mil euros e que conta com financiamento pelo Fundo Ambiental de 175 mil euros, visa a reconversão dos separadores relvados da EN 231, da EN16 Norte e Circular Norte e canteiros da circunvalação entre as rotundas de Nelas e Paulo VI.

“Viseu reforça com esta medida o estatuto de cidade-jardim que ostenta há 100 anos, sem descurar a sustentabilidade ambiental”, refere o Presidente da Câmara.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.