Prémio “Melhor queijo de ovelha de 2018” foi para a Queijaria Flor da Beira, de Carregal do Sal

0
1782
Victor Pedro Pinto, gerente da Queijaria Flor da Beira (Foto: Dão e Demo).

Depois de ter sido distinguida com a medalha de ouro em abril de 2018, na categoria queijo de ovelha, agora foi a vez de a Queijaria Flor da Beira se ter sagrado vencedora no concurso de queijos de Portugal 2018 tendo-lhe sido atribuído o prémio “Melhor queijo 2018” na categoria queijo de ovelha.

Este prémio é o culminar de um ano de ouro para a Queijaria Flor da Beira com sede em Carregal do Sal e que tem como seu administrador Victor Pedro Pinto, natural e residente em Vila Longa, concelho de Sátão, que a este propósito referiu que “este ano está a ser fabuloso”.

Na sua página do Facebook, Victor Pinto já deu nota deste prémio referindo que “A Queijaria Flor da Beira acabou de ganhar mais um prémio, este agora o de Melhor Queijo 2018”. E a publicação de Victor Pinto prossegue referindo que “a queijaria de parabéns, assim como os colaboradores e os produtores de leite”.

A finalizar a sua publicação, Victor Pinto agradeceu a todos os clientes e amigos e salientou que este ano de 2018 está a um “ano fabuloso”.

Recorde-se que este prémio é mais um a somar a tantos outros que esta queijaria tem obtido ao longo dos seus 22 anos de existência. Recorde-se que a queijaria já havia recebido antes o prémio de melhor queijo de ovelha em 2014, medalha de ouro em 2015 e medalha de prata em 2016 e em março deste ano a medalha de ouro.

Dão e Demo entrevistou Victor Pedro Pinto a 1 de janeiro de 2018

Refira-se que a 1 de janeiro do corrente ano publicámos uma entrevista precisamente com Victor Pedro Pinto, principal responsável e gerente da Queijaria Flor da Beira, natural e residente em Vila Longa, concelho de Sátão, que nos deu nota do historial da queijaria e da família, sempre ligada aos laticínios, da quantidade de queijo produzido, dos métodos de fabricação e dos motivos que levaram esta empresa a ser localizada em Carregal do Sal.

(Foto: Dão e Demo ©)

Recordamos aqui que a queijaria tem 25 trabalhadores e produz anualmente 250 toneladas de queijo de ovelha, para além de requeijão, tendo uma faturação anual de cerca de dois milhões de euros.

A origem dos 8.000 litros de leite laborados diariamente é da região, desde Mangualde, Penalva do Castelo, Tondela, Santa Comba Dão, Arganil, Oliveira do Hospital e Tábua, sendo a recolha assegurada por quatro camiões cisterna que diariamente vão buscar o leite, das ovelhas bordaleiras e churras mondegueiras, aos cerca de 120 produtores com quem a empresa trabalha.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.