Serra do Caramulo

0
262

Por: Carla Ferreira (continuandoaprocura.com)

Continuando à procura das serras de Portugal, estivemos na Serra do Caramulo que está situada a 800 metros de altitude, a cerca de 18 km de Tondela e a 40 km de Viseu, na zona de transição entre a Beira Alta e a Beira Litoral.

Foi no passado que a Serra ganhou reputação devido aos vários sanatórios ali existentes para doentes com tuberculose que procuravam a cura através do ar fresco e puro, nomeadamente a partir de 1920, e que rapidamente tornaram a pequena vila serrana numa estância de saúde e lazer.

Atualmente é procurada para fins-de-semana e férias em Turismo de Natureza, e para actividades de lazer, como como Rally/ rampa do Caramulo, Passeios BTT, Passeios de Jipe, PaintBall, Jogos Orientação e Cursos de Parapente.

O ar puro da Serra do Caramulo é uma das grandes atrações desta região, que conjuga florestas, zonas de vegetação rasteira com cursos de água cristalina e pequenas cascatas. As aldeias preservadas com casas e espigueiros em granito também merecem destaque.

Nas encostas da Serra é também muito interessante passear por entre florestas de carvalhos, castanheiros e pinheiros. Existem ainda no Caramulo vários caminhos romanos que resistem ao passar do tempo.

Contudo, ao chegar-se ao Caramulo sente-se uma certa melancolia, pois apesar da beleza da paisagem, parece que estagnou no tempo. Dos dezanove sanatórios que chegaram a fazer desta vila, a mais importante estância senatorial da Península Ibérica pouco mais sobram do que memórias. A maioria dos edifícios está ao abandono desde os anos oitenta. O antigo Sanatório Salazar, transformado na década de 90 em Hotel do Caramulo, foi um dos poucos a ser reconvertido, fazendo actualmente parte do grupo Golden Tulip.

No entanto, o Caramulo tem imenso para oferecer começando pelo charme da vila e das suas aldeias pitorescas, recantos encantadores e paisagem singular.

Para além da Natureza, os automóveis são outro cartão-de-visita local, com as estradas a encherem-se de gente várias vezes ao ano para assistir ao Caramulo Motorfestival e ao Campeonato Nacional de Montanha. Esta última, uma competição com um percurso de 2,8 Km que termina no Cabeço da Neve, a 1076 metros de altitude.

Para Ver

Caramulinho

Para apreciar convenientemente a majestosa paisagem do Caramulo, há um miradouro de visita obrigatória, trata-se do Caramulinho, o ponto mais alto da serra que, a 1076 metros de altitude, é o local ideal para apreciar em todo o seu esplendor o conjunto de montanhas e as pequenas aldeias.
A subida ao Caramulinho faz-se através de um percurso com mais de 200 degraus, mas que vale a pena, pois trata-se de um local de grande beleza e tranquilidade. Durante o trajeto  existem mesas para piqueniques.

A vista é de 360º, fabulosa por sinal, contudo, no dia em que lá estivemos estava um pouco de nevoeiro, o que também foi interessante, pois tivemos oportunidade de sentir a passagem do nevoeiro de um lado da serra para o outro.

É no Caramulinho que começa o percurso pedestre “Rota dos Caleiros”. Esta rota segue em direcção à pitoresca aldeia de Jueus, com a sua sinuosa calçada medieval e a capela de Menino Jesus construída no séc. XX.

Para além da “Rota dos Caleiros” (8,2 km) existem mais 4 rotas pedestres oficiais:

“Rota dos Laranjais” (7,5 km)
“Rota de Santiago” (5,5 km)
“Rota das Cruzes” (8 km)
“Rota do Linho” (8,8 km)

Cabeço da Neve 

O Cabeço da Neve é outro dos miradouros para apreciar a majestosa paisagem do Caramulo, a partir de onde, em dias sem nebulosidade, se avista a imensidão de serranias até à Serra da Estrela.

A poucos metros de distância existe uma plataforma de descolagem de parapente onde, sob marcação, é possível fazer batismos de voo sobre o vale de Besteiros com uma vista que se estende até à serra da Estrela.

Museu do Caramulo

Museu do Caramulo, localizado no centro da vila, é constituído por dois edifícios fundados pelos irmãos Abel e João de Lacerda nos anos cinquenta.

Abel de Lacerda era um apaixonado por arte e João de Lacerda por automóveis, tendo sido a paixão de ambos o grande impulso para a criação deste espaço de grande interesse.

Num dos edifícios estão expostas mais de quinhentas obras, desde pintura, escultura, mobiliário, cerâmica, passando pelas tapeçarias, peças que vão do antigo Egito até Picasso, Vieira da Silva e Dalí. No segundo edifício existe uma coleção com mais de cem veículos clássicos do século XIX, motociclos, jipes de guerra e viaturas de competição, sendo o mais antigo um Benz de 1886.

Possui ainda outras viaturas famosas, protagonistas de acontecimentos importantes da história de Portugal. Tem ainda à disposição algumas exposições temporárias.

Horário:

Encontra-se aberto todo o ano, excepto véspera de Natal e Páscoa.
Preço: €7 por adulto, grátis para clientes do banco BPI (bastando apresentar um cartão de débito ou crédito por pessoa juntamente com o BI)
Morada:
Rua Jean Lurçat 42
T. 232 861 270

Olarias Barro Negro de Molelos  

Na freguesia de Molelos encontram-se em funcionamento, e abertas ao público, uma série de olarias que trabalham a famosa “loiça preta de Molelos”, de cor negra e brilho metálico, feita segundo uma técnica tradicional, actualmente recuperada pelos jovens oleiros da região. Visitámos a Olaria Arte Antiga, um espaço revitalizado por dois irmãos e que nos explicaram que o barro adquire a cor escura que lhe dá o nome, através do processo de cozedura.

Para Comer

Restaurante Montanha

Restaurante Varanda da Serra

Restaurante Marte

Casa de Petiscos Batalha

O Sentido da Gula

Para Ficar

Golden Tulip Caramulo Hotel & Spa

Casa Lagar do Miradoyro

Casa dos Arcos

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.