“Tristeza solene”, livro de Aires Montenegro, vai ser apresentado em Moimenta da Beira

0
216

O livro “Tristeza solene”, de Aires Montenegro, será apresentado no dia 26 de maio, pelas 16h00, em Moimenta da Beira, na Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro. O livro é editado pela Idioteque, tem 192 páginas e a apresentação será efetuada pelo ex-deputado Fernando Charrua.

Aires Montenegro, nasceu em S. Martinho das Chãs, Armamar, e estudou na Escola Primária de Moimenta da Beira nos finais da década de 1950. Depois, foi para a ‘cidade invicta’ e lá se licenciou em Filosofia pela Faculdade de Letras. Deu aulas em vários liceus e escolas secundárias, tendo concluído a carreira docente no concelho de Paredes, onde reside.

Aires Montenegro

As ligações de Aires Montenegro a Moimenta da Beira impeliram-no a um regresso para dar a conhecer “Tristeza Solene”, o sexto livro que publica, e “cuja ação, em grande parte, se passa em Moimenta da Beira, no ano de 1958”, diz o autor.

A apresentação da obra é na Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro, dia 26 de maio, às 16 horas. Fernando Charrua, professor, ex-deputado e Cônsul Honorário da Turquia, vai encarregar-se dessa apresentação. Miguel Leitão, também professor de Filosofia e autor de vários livros, moimentense nascido em Arcozelo do Cabo, fará leituras do livro.

Ainda sobre Aires Montenegro, realçar o seu interesse pela música que o levou também a frequentar o Conservatório de Música do Porto. Desenvolve atualmente um projeto de divulgação de um instrumento tradicional sueco – a NYCKELHARPA – ao nível da música tradicional e da música antiga. Neste contexto, tem participado todos os anos nos International Days of the Nyckelharpa, que decorrem no início de Outubro em Burg Fürsteneck, Alemanha.

Sinopse do livro publicada no Wook

Num lar, um velho professor passa o tempo a tecer recordações esfarrapadas, que vai depois espalhando pela intimidade de um diário, na ilusão de que a vida lhe possa revelar ainda algum sentido original.

“Nesta noite de mim, triste e solene, não me aconchegam os aromas perdidos dos meus sonhos. Nesta noite de mim, eu não soube nunca amar”.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.