Viseu: BE quer saber o que se passa com a demissão dos 33 diretores de serviços do hospital

0
1509
(Foto: Dão e Demo ©)

O Bloco de Esquerda entregou nesta terça-feira na Assembleia da República uma pergunta dirigida ao Ministro da Saúde no sentido de saber quais as medidas que “vão ser desencadeadas na sequência da apresentação de demissão de 33 diretores de serviço do Centro Hospitalar Tondela Viseu”.

O BE quer ainda saber se “o Centro Hospitalar Tondela Viseu solicitou contratação de profissionais que não tenha ainda sido autorizada pela tutela” e se foi igualmente solicitada a “aquisição de equipamentos”.

Esta pergunta surgiu na sequência do pedido de demissão dos 33 diretores de serviços do Centro Hospitalar ocorrida nesta segunda-feira, dia 21 de maio.

Eis o teor integral da pergunta do BE:

«O Centro Hospitalar Tondela Viseu é constituído pelo Hospital de São Teotónio em Viseu e pelo Hospital de Cândido Figueiredo em Tondela.

No dia 21 de maio, 33 diretores de serviço deste Centro Hospitalar apresentaram a sua demissão de funções, em carta entregue ao Conselho de Administração.

Neste documento, os profissionais referem a degradação progressiva de vários serviços que consideram que “terá uma repercussão irreparável no tratamento e orientação de muitos doentes” que diariamente recorrem ao centro hospitalar, na “contínua ausência de uma política, regras ou orientação, que não seja o desesperado desinvestimento cego e desordenado, a todos os níveis, tecnológico e humano, levando a um descontentamento generalizado” e do desaparecimento da atividade do diretor clínico que neste caso acumula as funções de presidente do conselho de administração.

Esta insatisfação já havia sido comunicada à administração, referem os profissionais acrescentando que consideram que, a curto prazo a resposta aos doentes se irá agravar. Consequentemente, dizem não poder continuar a assistir “de forma passiva a esta degradação sem precedentes”, situação que os levou a apresentar de “forma formal a suspensão imediata das nossas funções na direção dos serviços”.

Recorde-se que, em abril, o Bloco de Esquerda questionou o Governo sobre o facto deste Centro Hospitalar não estar a realizar mamografias, devido ao avançado envelhecimento do equipamento bem como devido às dificuldades do serviço de oncologia (Pergunta n.º 1878/XIII/3ª).

Nesta conjuntura, o Bloco de Esquerda considera essencial que a situação vivida no Centro Hospitalar Tondela Viseu seja resolvida, a bem dos utentes, dos profissionais e do Serviço Nacional de Saúde.

Atendendo ao exposto, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio dirigir ao Governo, através do Ministério da Saúde, as seguintes perguntas:

  1. O Governo tem conhecimento da situação exposta?
  2. Que medidas vão ser desencadeadas na sequência da apresentação de demissão de 33 diretores de serviço do Centro Hospitalar Tondela Viseu?
  3. O Centro Hospitalar Tondela Viseu solicitou contratação de profissionais que não tenha ainda sido autorizada pela tutela?
  4. O Centro Hospitalar Tondela Viseu solicitou a aquisição de equipamentos que não tenha ainda sido autorizada pela tutela?
  5. O Governo considera adequado que a presidência de um conselho de administração de um Centro Hospitalar seja acumulada com as funções de diretor clínico?»
pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.