Viseu | CDS apresentou voto de pesar pelo falecimento do Capitão de Abril, Diamantino Gertrudes Silva

0
312
Diamantino Gertrudes Silva - capitão de Abril.

Carlos Cunha, eleito pelo CDS, apresentou na Assembleia de Freguesia de Viseu, que se realizou a 10 de dezembro, um voto de pesar pelofalecimento do capitão de Abril Diamantino Gertrudes Silva.

O voto foi aprovado por unanimidade.

Eis o teor do voto de pesar:      

Natural de Alvite, concelho de Moimenta da Beira, DiamantinoGertrudes da Silva, nasceu a 20 de fevereiro de 1943. Findo o liceu, ingressouna Academia Militar em 1963, seguindo a carreira militar de Infantaria.

Atingiu o posto decoronel (por promoção), tendo, em seguida, passado à reserva. Cumpriu duascomissões de serviço durante o período da Guerra Colonial: a primeira emAngola; e a segunda na Guiné. Por várias vezes foi louvado e condecorado noâmbito militar, graças à sua coragem e espírito patriótico de missão. Entre asvárias condecorações que recebeu, destaca-se a Grã Cruz da Ordem da Liberdadepela participação especial no Movimento das Forças Armadas que esteve na origemda revolução política abrilina.

Nas operações militares do 25 de Abril, Gertrudes da Silva comandou a companhia que saiu de Viseu do RI14, juntando-se, posteriormente, às forças oriundas de Aveiro e da Figueira da Foz, e que formaram o Agrupamento November.

O objetivo das tropas lideradas pelo capitão Gertrudes daSilva era tomar o Forte de Peniche, à época, uma prisão de alta segurança do regime, onde estavam encarcerados alguns presos políticos de renome. Tomado o Forte de Peniche, vencida a resistência dos guardas, o resto do agrupamentoseguiria para Lisboa a fim de concluir a missão que consistia na deposição do regime.

Instaurada a liberdade, Gertrudes da Silva passou a empenhar-se profundamente – sempre no RI14 – no processo de consolidação da Liberdade e da Democracia, transformando-se num dos Capitães de Abril mais respeitados pelos seus camaradas.

Quem com ele privou na vida militar admirava-o por se tratar de um homem culto, mas também pela postura disciplinada e disciplinadora, pelo bom sentido de humor sem cair em exageros e pelo respeito que manifestava em relação às pessoas e às instituições.

Em 1976, e à margem da vida militar, começou a frequentar a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, concluindo a licenciatura em História no ano de 1980.

Ao longo da sua vida nunca deixou de exercer os seus deveresde cidadania e de transmitir os valores de Abril, em particular, aos mais novos, através da apresentação de inúmeras comunicações com especial incidêncianas escolas.

A escrita fezigualmente parte da sua vida, sendo autor de várias obras. Entre 2003 e 2007, escreveu uma trilogia que percorre a Guerra Colonial e a Revolução do 25 de Abril de 74, com os títulos: “Deus, Pátria e… a Vida” (2003); “A Pátria ou aVida” (2005) e “Quatro Estações em Abril” (2007). Mais tarde, em 2011, publicou “Tempos sem remição”, um livro que incide sobre sagas familiares na época doEstado Novo.

No passado dia 10 de Outubro, aos 75 anos, o Coronel Diamantino Gertrudes da Silva partiu em paz para a sua derradeira missão, o seu exemplo de conduta em vida e o legado que nos deixou em defesa da liberdade e da democracia serão para sempre recordados.

Em função dos considerandos expostos e pelo facto de ter residido longos anos na Freguesia de Viseu, o CDS propõe, na reunião ordináriada Assembleia de Freguesia de Viseu, realizada em 10 de Dezembro, que seja atribuído um voto de Pesar pelo falecimento do Capitão de Abril, Diamantino Gertrudes da Silva e que do mesmo seja dado conhecimento aos seus familiares diretos e RIV14.

Viseu, 10 de Dezembro de 2018

O representante do CDS na Assembleia de Freguesia de Viseu

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.