Viseu | Lançado concurso para a nova ‘central de camionagem’ no valor de 4,6 M euros

0
903
Vista do atual Centro Municipal de Transportes (Foto: MUV)

Novo interface de transportes públicos tem um investimento de quase 4,6 milhões de euros e um prazo de execução de 560 dias, revelou a câmara municipal de Viseu.

O Executivo Municipal de Viseu aprovou esta quinta-feira, 21 de março, o projeto e abertura do procedimento da empreitada de construção do Centro de Operações de Mobilidade de Viseu, refere a autarquia, acrescentando que a nova infraestrutura, que agregará todos os serviços de transportes públicos, tem um prazo de execução de 560 dias e um investimento global de 4,6 milhões de euros.

“Vamos construir um equipamento funcional e moderno numa zona central da cidade, de fácil acesso a todos os utilizadores de transportes públicos”, refere o Presidente da Câmara, Almeida Henriques, lembrando que no PDM estava prevista uma outra localização para este equipamento, junto à Cava de Viriato.

“A obra vai decorrer em duas fases, avançando primeira a zona de estacionamento, permitindo que o atual equipamento continue a funcionar”, explicou, adiantando que “o novo centro de mobilidade terá uma ilha central virada para os transportes urbanos de Viseu e boxes para o transporte intermunicipal. Será um autêntico terminal rodoviário, dos mais evoluídos do mundo”, acrescenta.

“Este interface permitirá condições para a operação dos diferentes agentes interurbanos, intraurbanos e internacionais de transportes públicos. Neste Centro estará prevista a intermodalidade, integrando‐o na rede de mobilidade suave e assegurando a sua ligação aos diferentes modos complementares de transporte (autocarros elétricos e rodoviários, táxis, outros elétricos, bicicletas e rede pedonal)”, refere a nota da autarquia.

“No mesmo edifício, será também instalado o novo Centro de Operações para a Mobilidade de Viseu (COM Viseu), uma peça fundamental na mobilidade sustentável do concelho, onde estará centralizada a coordenação e controle de trânsito e tráfego. Será também responsável pela gestão da rede de mobilidade suave, dos sistemas de bike‐sharing e car sharing, do sistema demand responsive transport e pela coordenação dos serviços de gestão do estacionamento”, refere ainda a nota.

Com a criação deste dispositivo, “pretende-se melhorar a rede de interfaces dos transportes públicos coletivos de passageiros em meio urbano (interfaces de transportes públicos como terminais de autocarros), enquanto se promove a organização funcional do Centro de Operações para a Mobilidade de Viseu e a sua inserção urbana no território”, acrescenta o município de Viseu que com este investimento pretende “reforçar a utilização do transporte público urbano coletivo de passageiros e dos respetivos modos suaves, assim como implementar medidas tendentes à redução das emissões de gases poluentes, são alguns dos objetivos subjacentes a este novo projeto”.

Passes de transportes públicos comparticipados

O Executivo Municipal aprovou também o Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) nos transportes públicos. Isto significa que os utilizadores do MUV – Mobilidade Urbana de Viseu poderão usufruir de uma redução do valor do passe entre 23% (linhas periurbanas) a 25% (linhas urbanas), revela ainda a câmara municipal.

“Depois de o Governo ter anunciado o apoio às áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, fui a primeira voz a insurgir-se contra a desigualdade face ao resto do país. Congratulo-me com o facto de me terem ouvido e alargado a comparticipação dos passes sociais a todo o território”, refere o Presidente da Câmara Municipal.

Também esta quinta-feira, o Executivo Municipal aprovou a adjudicação da empreitada de adaptação da cave da Igreja Madre Rita para Arquivo Municipal.

Com um valor de 652 mil euros, esta empreitada tem um prazo de execução de 245 dias.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.